PSORIERJ /DV


Artigo da American Academy of Dermatology

ARTIGO DA AMERICAN ACADEMY OF DERMATOLOGY

Título original: Psoriasis & Psoriatic Arthritis

A psoríase é uma doença persistente e inflamatória da pele. Alguns casos de psoríase são tão leves que as pessoas nem sabem que têm. Por outro lado, a psoríase grave pode afetar grandes áreas do corpo. Dermatologistas tratam dos casos mais leves e até mesmo nos casos mais graves.

A Psoríase não é contagiosa, por isso não pode ser passada de uma pessoa para outra. Psoríase, no entanto, têm uma tendência a ser acometida em membros de uma mesma família, isso significa que pode ter uma predisposição genética, porém, não necessariamente que seja hereditária.

CAUSAS DA PSORÍASE

Embora a causa seja desconhecida, a investigação indica que o sistema imunológico desempenha um papel fundamental no seu desenvolvimento. Acredita-se que o sistema imunológico da pessoa ativa, equivocadamente, as células T, um tipo de glóbulos brancos do sangue (linfócitos). Uma vez ativado o sistema imunológico, a inflamação aciona essas células T, o que faz com que a pele cresça muito rapidamente. Normalmente, a própria pele saudável se substitui a cada 28-30 dias. Quando este processo acelera o crescimento celular da pele, ela substitui-se entre dois a quatro dias, então a psoríase se desenvolve.

Um "gatilho" é geralmente necessário para fazer aparecer psoríase, quer seja pela primeira vez ou em qualquer fase da vida. A Psoríase pode ser desencadeada por estresse emocional; por uma infecção, tal como na garganta por estreptococos; e tomando certos medicamentos, como o interferon e lítio. O frio e o tempo seco, no inverno, em certas condições atmosféricas e pela falta de luz solar, também podem desencadear a psoríase. Outros casos de psoríase podem aparecer de 10 a 14 dias após a pele ser lesada, como por um corte, arranhão, ou grave queimadura solar, ou em antigas cicatrizes. Isto é conhecido como fenômeno de Koebner.

TIPOS DE PSORÍASE

Existem pelo menos sete tipos principais de psoríase, cada um com seus próprios sinais e sintomas distintos:

Psoríase em placas

É o tipo mais comum, a placa psoríase aparece como manchas de levantados, pele avermelhada coberta por escamas branco-prateadas. Atinge frequentemente sobre a forma de placas os cotovelos, joelhos, pernas, a parte inferior das costas e o couro cabeludo, mas pode ocorrer em qualquer lugar da pele.

Psoríase gutata

Aparecendo como pequenas manchas vermelhas, a psoríase gutata (ou em gotas) geralmente afeta crianças e adultos jovens. Muitas vezes começa após uma dor de garganta e, freqüentemente, desaparece por si em semanas ou poucos meses.


Psoríase pustulosa

A Psoríase pustulosa é caracterizada com o aparecimento de pústulas brancas cercadas por pele vermelha. Este tipo de Psoríase tende a limitar-se a determinadas áreas do corpo, geralmente nas palmas das mãos e plantas dos pés. Dermatologistas esta chamada "psoríase pustulosa localizada” ou “palmo-plantar”. Quando generalizada, a condição é conhecida como "psoríase pustulosa generalizada", que é uma forma rara e grave da psoríase e que pode ser fatal.


Psoríase inversa

Este tipo ocorre na forma de lesões vermelhas na “pregas” da pele lisa. As lesões podem aparecer na axila, sob os seios, no umbigo, em torno da virilha, nádegas e genitais.


Psoríase Eritrodérmica

Provocando prejuízos generalizados vermelhidão com comichão e dor severa, senão for devidamente tratada, a Psoríase eritrodérmica pode ser fatal.

Psoríase Ungueal e do Couro Cabeludo

A Psoríase pode se desenvolver com frequência no couro cabeludo e nas unhas. Quando ocorre no couro cabeludo, a Psoríase provoca escamas (cascas) branco-prateadas que podem ser confundidas como caspa. Quando acomete as unhas, freqüentemente, aparecem como pequenas covas ou em pontos em “forma de dedal”. As unhas se espessam, amassam e podem até cair. Estes sinais podem ser mal diagnosticados, confundidos com uma infecção por fungos. Estes dois tipos de psoríase, nas unhas e no couro cabeludo, podem ser muito difíceis de se tratar.

Artrite psoriásica

Também conhecida como artrite psoriática ou psoríase artropática, acomete entre 10% e 30% das pessoas que desenvolvem psoríase. Obtém-se uma forma de artrite relacionada à inflamação nas articulações. Artrite psoriásica é uma condição que provoca deterioração da qualidade de vida, com dor e rigidez nas articulações. A medicação pode ajudar a prevenir deformidades e incapacidade conjunta se utilizada precocemente. Sem tratamento, a degeneração articular e a destruição permanente podem ocorrer.


DIAGNOSTICANDO A PSORÍASE

Dermatologistas podem diagnosticar psoríase examinando clinicamente a pele, unhas e couro cabeludo. Mas uma biópsia simples da pele pode ser feita para confirmar o diagnóstico.


O tratamento da psoríase

Embora a psoríase não possa ser curada, há opções de tratamento que podem ajudar a controlar a psoríase.


A saúde do doente, idade, estilo de vida e a gravidade da psoríase determinam que opções de tratamento são mais adequadas. Conseguir obter o controle sobre a psoríase pode exigir diferentes tipos de tratamento e de várias visitas ao seu dermatologista.

Para ajudar os pacientes a controlar a psoríase, um dermatologista pode prescrever medicamentos para aplicar na pele. Estes medicamentos podem ser compostos oleosos ou hidratantes combinados com cortisona, retinóides, alcatrão ou antralina. Estes medicamentos podem ser utilizados em conjunto com a exposição à luz solar natural ou como tratamento artificial através de raios-ultravioleta (UVA ou UVB). As formas mais graves de psoríase podem exigir medicações fotos-sensibilizantes, por via oral ou injetável, em tratamentos com ou sem luz UV.


TIPOS DE TRATAMENTO


MEDICAMENTOS TÓPICOS

Corticosteróides (cortisona)


Cortisona é um hormônio natural produzido pelas glândulas supra-renais que possui um poder antiinflamatório e que pode reduz a inflamação da psoríase. Em sua forma sintética também é chamado de corticóide ou corticosteróide, pode ser aplicado em forma de cremes, pomadas e loções que servem para “limpar” temporariamente as lesões da pele e controlam a doença em muitos pacientes. Preparações com menor quantidade de corticóide devem ser usadas em áreas mais sensíveis do corpo, como os órgãos genitais, axilas e face. Já as mais concentradas são normalmente necessárias para controlar lesões no couro cabeludo, cotovelos, joelhos, palmas das mãos, sola dos pés e partes do tronco. Estes medicamentos podem ser aplicados para melhorar a eficácia do tratamento.

Corticosteróides devem ser usados com cautela e devem ser seguidas as instruções do seu dermatologista. Os efeitos secundários mais fortes incluem adelgaçamento da pele, dilatação dos vasos sanguíneos, nódoas negras, marcas esticadas, e mudança da cor da pele. A descontinuidade repentina do uso destes medicamentos pode resultar em um “efeito rebote” e agravar a doença.

Quando utilizada por muitos meses ou por longos períodos, a psoríase pode se tornar resistente aos corticosteróides. Em casos mais difíceis de se tratar pode ser indicado uma injeção de corticosteróide.

Antralina


Muitas vezes eficaz em casos de placas espessas de psoríase difíceis de tratar. A antralina diminui a taxa de crescimento rápido da pele e reduz a inflamação. Novas preparações e métodos de tratamento minimizam os tradicionais efeitos colaterais da irritação da pele e da inconveniente coloração.

Calcipotriene

Útil para os indivíduos com psoríase localizada, calcipotriene pode ser combinado com outros tratamentos. Certifique-se de aplicar calpotriene conforme instruído pelo seu dermatologista para evitar efeitos colaterais, como irritação da pele.

Retinóides

Este medicamento pode ser usado sozinho ou em combinação com corticosteróides tópicos para tratamento de psoríase localizada. As mulheres que estão, ou podem tornar-se, grávidas não devem usar retinóides tópicos.


Alcatrão de carvão


Por mais de 100 anos, alcatrão de carvão tem sido utilizado de forma segura e eficaz para tratar a psoríase. Hoje os produtos a base de alcatrão estão muito melhorados. Prescrições de alta concentração de alcatrão podem ser feitas especificamente para o tratamento de áreas difíceis.

Fototerapia


Os raios ultravioletas (UVs), que se encontram naturalmente na luz solar, retardam o crescimento rápido do número de células da pele. Os doentes com psoríase podem receber luzes artificiais terapêuticas em um consultório de um dermatologista, num centro especializado em tratamento de psoríase, ou num hospital. Pacientes com psoríase que vivem em climas quentes devem ser orientados para tomar sol cuidadosamente de acordo com a orientação de um dermatologista. A fototerapia oferece para muitos pacientes um tratamento seguro e uma opção eficaz. Sempre procure o conselho do seu dermatologista antes de tentar um autotratamento com raios UVs, sejam naturais ou artificiais.

Pacientes que fazem fototerapia em unidade médica podem receber terapia com raios UVBs, PUVA ou tratamento Goeckerman.


Ultravioleta B (UVB) Light

Este tipo tratamento expõe a pele para um comprimento de onda da luz UV mais brando chamado UVB. Este tipo de terapia pode ser usado sozinho ou em combinação com tratamentos tópicos ou sistêmicos. Para receber terapia UVB, o paciente entra em uma câmara de luz que envolve o paciente ou fica na frente de um painel de luz. Cerca de 24 sessões, ao longo de um período de dois meses, são necessárias para a obter resultados satisfatórios. Embora o UVB seja extremamente seguro e eficaz, há possíveis efeitos colaterais que incluem queimaduras, aparecimento de pintas na pele e envelhecimento prematuro. Os riscos de câncer de pele parecem não serem maiores do que o risco causado pela exposição normal ao sol.


PUVA

PUVA significa "psoraleno + UVA", que são os dois componentes deste tipo de tratamento. É usado para tratar a psoríase generalizada ou em quem não respondeu a outras terapias convencionais. O PUVA é eficaz em aproximadamente 85% dos casos. Para receber PUVA, o paciente toma um medicamento chamado psoraleno, que pode ser por via oral. O paciente é, então, exposto aos raios ultravioleta A (UVA), medidos cuidadosamente o seu grau de intensidade e a duração da exposição dessa forma especial de luz. Os pacientes devem usar óculos escuros porque o psoraleno permanece no cristalino do olho, mesmo depois da aplicação do PUVA, e também para o bloqueio dos UVAs quando fica exposto à luz solar, a partir do momento em que o psoraleno é utilizado até anoitecer desse dia.

O desaparecimento das lesões ocorre geralmente após em média de 25 tratamentos com PUVA, que são aplicados ao longo de dois ou três meses. Manter a psoríase sob controle exige cerca de 30 a 40 tratamentos por ano. O tratamento com PUVA durante um longo período aumentaria o risco de envelhecimento prematuro, manchas ou pintas e até câncer da pele. O seu dermatologista pessoal deve acompanhar com muito cuidado o seu tratamento com PUVA.


Tratamento Goeckerman


Nomeado após o dermatologista da Clínica Mayo que primeiro relatou que, este tratamento combina alcatrão curativo com luz ultravioleta. Usado para o tratamento de pacientes com psoríase grave, o tratamento Goeckerman é realizado diariamente por um determinado período de tempo. A quantidade de vezes de exposição aos UVs varia com o tipo de psoríase e da sensibilidade da pele do paciente. O acesso a esta terapia é limitado porque apenas alguns centros especializados nos Estados Unidos podem oferecê-lo.

TERAPIAS SISTÊMICAS


Metotrexato


Esta medicação anti-câncer pode ser dramática para o paciente tratar sua psoríase. O tratamento com metotrexato pode causar graves efeitos colaterais, especialmente pode levar a doença hepática, é reservado para o tratamento da psoríase de moderada a grave que não respondeu a outras terapêuticas. Os pacientes tomando metotrexato precisam fazer regularmente análises do sangue. Radiografia de tórax e, ocasionalmente, biópsias do fígado podem ser exigidas. Outros efeitos secundários incluem enjôos de estômago, náuseas e tonturas.

O Metotrexato não deve ser usado por mulheres grávidas, nem por homens ou mulheres que estão tentando conceber uma criança. A concepção deve ser evitada, pelo menos, 12 semanas após a interrupção metotrexato.


Os doentes que tomam metotrexato não devem beber bebidas alcoólicas.


Retinóides


Um retinóide oral pode ser prescrito isoladamente ou em combinação com a luz ultravioleta para casos graves de psoríase. Os efeitos colaterais incluem secura da pele, lábios e olhos, elevação dos teores de gordura no sangue (colesterol e triglicerídeos) e formação de minúsculos esporões ósseos. Retinóides orais pode causar defeitos congênitos e não devem ser utilizados por mulheres grávidas ou mulheres que pretendem engravidar durante ou dentro de três anos após a interrupção do tratamento. Os pacientes tomando retinóides orais exigem acompanhamentos rigorosos, que incluem testes sanguíneos regulares.

Ciclosporina

Esta medicação é um imunossupressor que inibe o sistema imunológico e é usado para prevenir a rejeição de órgãos transplantados, como o fígado ou rim. Embora a ciclosporina se mostre extremamente eficaz no tratamento da psoríase, é geralmente reservada para os pacientes com psoríase grave e artrite psoriásica e que não responderam a outras terapias. Devido ao potencial de efeitos secundários, as funções renais e a pressão arterial devem ser verificadas antes da droga pode ser prescrita. Doentes que tomam ciclosporina requerem cuidadosas vigilâncias médicas, que incluem testes sanguíneos regulares

AGENTES BIOLÓGICOS

Biológicos (também chamados de imunobiológicos) são medicações sistêmicas que são aplicadas através de injeção ou infusão. O que torna único nos biológicos é que essas drogas precisam identificar respostas imunes envolvidas com a psoríase. Por esta razão, uma cuidadosa consulta com o dermatologista é importante, pois há uma variedade de tratamentos e combinações de tratamentos para examinar e é necessário submeter-se a vários testes médicos antes de encontrar o mais adequado tratamento com biológicos. Os biológicos utilizados para tratar a psoríase são:

Alefacept

Ao bloquear o excesso de células T ativadas, pode-se indicar o alefacept para formas crônicas de psoríase em placas de moderadas a graves. O médico deve aplicar cada tratamento com alefacept através de uma injeção intramuscular (IM), que é utilizada para que a medicação penetre profundamente em grandes músculos do corpo. O paciente normalmente recebe uma injeção por semana durante 12 semanas.

Etanercept

Indicado para o tratamento de psoríase e artrite psoriática, este agente biológico bloqueia o fator de necrose tumoral alfa (TNF), um mensageiro no sistema imunológico que direciona células para causar a inflamação que leva à psoríase. Aplicada sob a forma de injeção por via subcutânea (sob a pele), os doentes também podem aprender a se autoaplicar, o etanercept é normalmente utilizado como terapia de longo prazo.

Infliximab

Também indicado para tratamento de psoríase e artrite psoriática, este biológico bloqueia o fator de necrose tumoral alfa. É administrado como uma perfusão, por isso o tratamento deve ser dado em um gabinete médico.

Adalimumab

Este biológico bloqueia o fator de necrose tumoral alfa e é eficaz no tratamento da artrite psoriática. Pacientes podem aprender a aplicar-se o adalimumab que é administrado por injeções subcutâneas.

Para saber mais sobre a psoríase, acesse www.aad.org, www.skincarephysicians.com/PsoriasisNet


Nunca tome remédios sem o conhecimento de seu médico ou pratique a automedicação, procure sempre encontrar um dermatologista próximo da sua área. O dermatologista é um médico que se especializa em tratar matérias médico-cirúrgicas, cosméticos e doenças e condições da pele, cabelo e unhas. Se você sente dores, inchaços e dificuldades articulares e também tem psoríase, deve procurar um reumatologista.



Este conteúdo foi exclusivamente desenvolvido pela Academia Americana de Dermatologia. Traduzido e adaptado para a PSORIERJ por André Rezende Novaes

http://www.aad.org/public/publications/pamphlets/common_psoriasis.html


© 2007 American Academy of Dermatology
P.O. Box 4014, Schaumburg, Illinois 60168-4014
AAD Public Information Center: (888) 462-DERM (3376)
AAD Member Resource Center: (866) 503-SKIN (7546)
Web: www.aad.org


VOLTAR - MENU INICIAL